Deserção

Freios nas mãos não acabaram
Com as manhas da sua boca
Deixe-me ir
Antes que acerte pela primeira vez

Comprimidos, calmantes
Trouxeram tristeza demais
Esses movimentos darão vida
À parte morta em você

Objetos raros enfeitam sua sala
Dois foram pro chão
Avisei nas escadas que mal tinha dinheiro
Pra lavanderia ou motel

Pouco se importa
Desde que a eleve
Nas bordas
Que ela costuma trabalhar

Consciência e coragem
Separados no mesmo coração
Desertamos
O que chamam de razão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Recomendações Cinematográficas

  • Requiem Para um Sonho
  • O Sol de Cada Manhã
  • À Procura da Felicidade
  • Tudo Acontece em Elizabethtown
  • O Fabuloso Destino de Amélie Poulain
  • O Amor Não Tira Férias
  • Laranja Mecânica
  • Efeito Borboleta
  • Na Natureza Selvagem
  • Clube da Luta
  • V de Vingança